Aposentadoria por idade e tempo mínimo

Com 65 anos poderá se aposentar por idade já que tem mais de 15 anos de contribuição, mesmo parando de pagar. A vantagem é quase nula, já que o valor será feito pela média de todos os seus pagamentos durante este tempo.

Caso seja aprovada a nova lei, da mesma forma já tem seu direito garantido ao completar 65 anos e poderá escolher o cálculo mais vantajoso, pela lei atual ou pela nova.

Caso tenha condições financeiras, poderá ser mais vantagem continuar pagando por mais um ano e ver se na hora do cálculo tenha alguma vantagem.

Francisco

O sonho da casa própria: o que fazer para financiar pelo Minha Casa, Minha Vida?

  • O que fazer para participar do programa Minha Casa, Minha Vida;
  • Qual a faixa de renda necessária para conseguir financiar o imóvel;
  • Qual a documentação necessária para fazer o financiamento.

O Programa Minha Casa, Minha Vida foi criado em 2009 a fim de permitir que mais e mais brasileiros conquistassem um grande sonho: o de ter um lugar para morar.

Como conseguir remédio caro de graça

Fazer curso universitário de graça com o ProUni

De 2009 até 2015, mais de quatro milhões de brasileiros colocaram os pés em suas novas casas. Dessa vez, sem aluguel e com seus próprios nomes em suas escrituras.

De lá pra cá, além de garantir moradia digna para milhões de famílias por ele beneficiadas, o Programa também garantiu e manteve um grande aquecimento da construção civil. Afinal, muitas e muitas casas foram construídas, garantindo também emprego e renda para quem mais precisava.

Hoje, com regras que observam atingir ainda mais pessoas através dessa modalidade de financiamento da casa própria, o Programa continua sendo extremamente benéfico para milhões de pessoas ano após ano.

E se você é uma dessas pessoas que também sonham com o dia em que entrarão em suas casas próprias pela primeira vez, veja qual a documentação e os critérios para poder participar do Programa Minha Casa, Minha Vida.

Critérios de participação do Programa Minha Casa, Minha Vida

Em 2017 novas regras passaram a valer para atrair ainda mais pessoas para o sonho da casa própria, livre de aluguel, com segurança e estabilidade.

Com essas novas regras, mais e mais pessoas poderão ter acesso a um lugar novo para morar, com parcelas que cabem no bolso.

As novas faixas de rendimento hoje se identificam assim:

  • Faixa 1: rendimento bruto familiar de até R$ 1.800,00;
  • Faixa 1,5: rendimento bruto familiar de até R$ 2.600,00;
  • Faixa 2: rendimento bruto familiar de até R$ 4.000,00;
  • Faixa 3: rendimento bruto familiar de até R$ 9.000,00.

Documentação a ser entregue para participar do Programa

Todos os que possuem renda na composição familiar devem ter em mãos os seguintes documentos:

Documentos pessoais

  • Carteira de Identidade
  • Cadastro de Pessoa Física
  • Carteira de trabalho

Comprovantes de estado civil

  • Para solteiros: certidão de nascimento
  • Para casados: certidão de casamento
  • Para separados ou divorciados: certidão de casamento averbada

Demais documentos

  • Comprovante de renda (holerites)
  • Comprovante de residência atual
  • Declaração de contribuição do imposto de renda (se for o caso)

Reunida essa lista de documentos, basta agora procurar sua casa nova e verificar a possibilidade de financiamento pelo Programa Minha Casa, Minha Vida.

Se a resposta for positiva, basta procurar uma agência da Caixa Econômica Federal com seus documentos em mãos!

O programa Mais Médicos receberá apoio de médicos estrangeiros por mais cinco anos

O Ministério da Saúde anunciou, nessa última terça-feira, dia 13, que firmou um termo de cooperação com a Organização Pan-Americana da Saúde para renovar por mais cinco anos a ação de médicos cubanos para o programa Mais Médicos.

Como fazer o Simples Doméstico cadastramento e recolhimento de impostos

Incluir o tempo rural parcial na aposentadoria por tempo de contribuição

Esse documento formalizará a permanência desses médicos no país em caráter de intercâmbio, dando à população brasileira assistência médica básica em caráter continuado.

Esse termo assinado entre as duas instituições também considera a qualificação dos médicos – tanto os recebidos pelo Brasil quanto os brasileiros – como item essencial, bem como a troca de experiências de governo na atenção à saúde como formas de garantir melhor qualidade no atendimento à população.

Vale lembrar que, apesar de muito criticado no seu início, o programa Mais Médicos amplia o acesso à saúde e garante que mais pessoas tenham consignadas as garantias de que o Sistema Universal de Saúde continuará prestando atendimento à população brasileira, diminuindo tempos de espera e filas que dificultavam muito seu uso.

O programa também previa que médicos fossem encaminhados para regiões brasileiras que antes tinham grande deficiência no atendimento de saúde básica, uma vez que não havia pessoal qualificado para exercer as funções de forma a assegurar saúde e qualidade de vida para os habitantes de mais de quatro mil municípios brasileiros, beneficiando mais de 63 milhões de pessoas que antes tinham carência de atendimento de saúde.

É também essa ação do governo que hoje mantém médicos situados em 34 distritos de atendimento à população indígena, que antes tinha o acesso à saúde ainda mais dificultado por conta de sua especificidade.

Além de médicos estrangeiros, médicos brasileiros – o Mais Médicos em números

É fundamental também lembrar que no último ano houve um salto quantitativo importante no número de médicos brasileiros formados no Brasil que atuam também no Mais Médicos.

Dados revelam que em 2016 esse número de médicos era de apenas 3,8 mil, mas em 2017 já soma 5,2 mil, representando uma alta de 38% na população participante das ações que levam realmente saúde para quem mais precisa dela – a população desatendida e carente de hospitais e sistemas complexos de atenção.

Hoje, os números da ação governamental para garantir saúde básica para a população são os seguintes:

  • 8,5 médicos cubanos em regime de cooperação;
  • 8,4 mil médicos brasileiros formados no Brasil ou fora dele – com certidões de equivalência fornecidas pelo Ministério da Saúde;
  • 438 médicos intercambistas de outras nacionalidades, atuando sob regime e caráter temporário.

Requisitos mínimos para se aposentar

Completando os 35 anos de contribuição já pode dar entrada em sua aposentadoria.

O INSS irá fazer um levantamento real das suas contribuições e estando tudo correto, sua aposentadoria será efetivada.

Tempo anterior a data da aposentadoria

Só vale a partir da data de entrada com o pedido no INSS de sus aposentadoria. O tempo anterior não conta.

Portanto, tudo o que passou, ficou. Mas, também este tempo vai ajudar a elevar o valor de seu benefício e é por isso que o INSS não conta o passado.

Nova lei e o tempo mínimo de contribuição

Completando 25 anos de contribuição, já terá direito de se aposentar, mas terá que ter a idade mínima de 55 anos de idade.

Portando, completando 55 anos de idade, poderá pedir sua aposentadoria, pois já vai ter pagos cerca de 34 anos do INSS.

A nova lei acaba com este mínimos de 35 anos de contribuição e só estabelece que todos só poderão se aposentar a partir dos 55 anos de idade para homens e 53 para mulheres.

Mínimo de contribuição de 25 anos.

Contribuindo pelo teto para aposentadoria

Com 54 anos de idade e 35 de contribuição, se aposentando pela lei atual vai sofrer um corte de uns 30 a 35% da média de suas contribuições.

A nova lei (se não mudarem mais nada) diz que no seu caso tem o direito adquirido por ter completos os 35 anos de contribuição e completando 55 anos poderá se aposentar com 70% da média de todas suas contribuições mais 2,5% por ano a mais trabalhado. 37 anos de contribuição pega 75% da média.

Agora é só decidir o que fazer.

 

Cancelamento de aposentadoria por morte quem vive em outro país

O cancelamento de aposentadoria por morte de pessoas brasileiras que vivem no exterior poderá ser solicitada direto no representante consular do Brasil. O comunicado é obrigatório para o cancelamento dos pagamentos.

Procure o consulado brasileiro em sua cidade para entregar os papéis exigidos e um deles é o certidão de óbito o segurado.

Momento certo para pedir a aposentadoria

Com 31 anos de contribuição já pode entrar com o pedido e se aposentar, mas vai entrar no fator previdenciário que corte uns 30 a 35% do sua média das contribuições.

A nova lei ainda não está definida e não se pode ter certeza de nada, mas dizem que quem até a assinatura da nova lei ter completados o tempo para se aposentar, poderá optar em se aposentar pela lei velha ou pela nova quando achar melhor.

Também tem um item que diz que ninguém mais vai se aposentar antes da nova idade mínima, no seu caso 53 anos que não está longe e se compensar da para esperar.

Agora é só decidir, esperar e arriscar ganhar um pouco mais ou se aposentar já.

Nova lei das aposentadorias

Tem um prazo para solicitar o cancelamento de sua aposentadoria que saiu. Caso não entre com o pedido, será considerada como concedida.

Procure o INSS para saber como proceder.

A nova lei ainda é tudo dúvida e ninguém sabe o que vai ser feito, se vai beneficiar ou prejudicar aqueles que já tem o tempo completo para se aposentar.