Incluir o tempo rural parcial na aposentadoria por tempo de contribuição

Rural

Está cada vez mais difícil incluir o tempo rural na contagem do tempo de contribuição na hora da aposentadoria, isso porque, o INSS está cada dia exigindo mais provas concretas para aceitar incluir este tempo trabalhado na roça.

É que na verdade o INSS está apertando o cerco para evitar que pessoas se aposentem usando o tempo rural de uma forma irregular, ou seja, daqueles que nunca moraram na roça e querem incluir este tempo na contagem.

Provas exigidas vão além de uma escritura de terras em nome da família, é preciso comprovar de que o pretendente realmente trabalhou junto com a família e que a produção era exclusivamente para o sustento familiar.

Contrato de arrendamento de terras, no caso de não ter terras próprias.

Notas fiscais de venda da produção

Documento de matrícula em escolas da região

3 testemunhas não parentes e que sejam da época que trabalhava na lavoura. As testemunhas serão ouvidas para comprovação de que realmente o trabalho rural era para subsistência da família.

Alistamento militar em que conste que era trabalhador rural

Documentos que constem o seu nome como trabalhador rural – neste caso fica complicado, já que, quem tinha idade entre os 12 e 18 anos e trabalhava com os pais, todos os documentos são emitidos em nome do pai e não de um dos filhos.

Rural feijao

Acompanhe o andamento do processo pelo site da Justiça Federal.

Veja abaixo a lista completa das exigências do INSS, ou consulte direto o site do INSS.

  • Comprovante de Cadastro do Instituto Territorial – ITR, ou Certificado de Cadastro do Imóvel Rural – CCIR, ou autorização de ocupação temporária fornecidos pelo INCRA;
    Comprovantes de Cadastro do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária – INCRA (em nome do requerente);
    Blocos de Notas do produtor rural e/ou notas fiscais de venda realizada por produtor rural (em nome do requerente);
    Contrato de arrendamento, parceria ou comodato rural registrado ou reconhecida firma em cartório à época do exercício da atividade;
    Declaração fornecida pela Fundação Nacional do Índio – FUNAI atestando a condição do índio como trabalhador rural;
    Caderneta Inscrição Pessoal visada pela Capitânia dos Portos ou pela Superintendência do Desenvolvimento da Pesca (SUDEPE) ou pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS) ou identificação expedida pelo IBAMA ou por Delegacia do Ministério da Agricultura;
    Declaração do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Sindicato de Pescadores ou Colônia de Pescadores, desde que acompanhada por documentos nos quais conste a atividade a ser comprovada, podendo ser, dentre outros:
  • Declaração de Imposto de Renda do segurado;
    Escritura de compra e venda de imóvel rural;
    Carteira de Vacinação;
    Certidão de nascimento dos filhos;
    Certidão de Tutela ou Curatela;
    Certificado de alistamento ou quitação com o serviço militar;
    Comprovante de empréstimo bancário para fins de atividade rural;
    Comprovante de matrícula ou ficha de inscrição própria ou dos filhos em escolas;
    Comprovante de participação como beneficiário de programas governamentais para a área rural nos estados ou municípios;
    Comprovante de recebimento de assistência ou acompanhamento pela empresa de assistência técnica e extensão rural;
    Contribuição social ao Sindicato de Trabalhadores Rurais;
    Declaração Anual de Produtor – DAP;
    Escritura pública de imóvel;
    Ficha de associado em cooperativa;
    Ficha de crediário em estabelecimentos comerciais;
    Ficha de inscrição ou registro sindical junto ao Sindicato de Trabalhadores Rurais;
    Fichas ou registros em livros de casas de saúde, hospitais ou postos de saúde;
    Publicação na imprensa ou em informativo de circulação pública;
    Recibo de compra de implementos ou insumos agrícolas;
    Recibo de pagamento de contribuição confederativa;
    Registro em documentos de Associações de Produtores Rurais, Comunitárias, Recreativas, Desportivas ou Religiosas;
    Registro em livros de Entidades Religiosas, quando da participação em sacramentos, tais como: batismo, crisma, casamento e outras atividades religiosas;
    Registro em processos administrativos ou judiciais inclusive inquéritos (testemunha, autor ou réu);
    Título de eleitor;
    Título de propriedade de imóvel rural;
    Quaisquer outros documentos que possam levar à convicção do fato a comprovar.

O pedido deverá ser feito primeiro direto ao INSS e só em caso de negativa, poderá entrar com pedido na Justiça Federal direto, ou seja sem um advogado, ou, contratar um advogado para dar andamento ao processo. A contratação do advogado é recomendado porque ele vai saber claramente arrolar testemunhas e solicitar as provas corretas.

Quando a pessoa não pode pagar pelas custas do processo, é possível solicitar a gratuidade que será deferida ou indeferida pela Justiça Federal.

 

Gostou? Veja mais como estes curtindo nossa página no Facebook:

79 respostas para “Incluir o tempo rural parcial na aposentadoria por tempo de contribuição”

  1. ODETE BATISTA AGGIO disse:

    NASCI E ME CRIEI NO SITIO COM MEUS PAIS,SENDO ONZE IRMÃOS E PAI FALECIDO,MEU PAI COMO OS SEUS NASCERAM E MORRERAM COMO TRABALHADORES RURAIS .MINHA MÃE TRABALHAVA NA ROÇA E DEPOIS DA HORA ERA PROFESSORA….Á MUITO TEMPO APOSENTADA COMO PROFESSORA E RURAL.ME CASEI COM 21 ANOS E DEPOIS FUI TRABALHAR PQ MUDEI PARA A CIDADE .AGORA ESTOU COMPLETANDO 60 ANOS E TENHO 7 ANOS DE CONTRIBUIÇÃO.GOSTARIA DE SABER SE POSSO PEDIR A APOSENTADORIA CONTANDO COM OS ANOS DE ROÇA AO QUAL NOS CRIAMOS AJUDANDO NOSSO PAI .MINHA MÃE MORA ATÉ HOJE NO MESMO LUGAR E AINDA FAZ O QUE PODE NO SITIO…ME AUXILIE POR FAVOR …NÃO CONSIGO MAIS TRABALHAR ESTOU CANSADA.OBRIGADA

    • fslonik disse:

      Se conseguir provar com documentos o tempo rural, com escritura de terreno, notas fiscais de venda de produtos ou outros vai poder contar a partir dos 12 anos até os 20 que saiu do sítio. & de contribuição mais 8 de rural + 15 que dará direito a sua aposentadoria.

    • NUNCA TEVE IMÓVEL RURAIS EM MEU NOME , SÓ TENHO O CCIR DO IMÓVEIS DE OUTRA PESSOA , COM ESTE DOCUMENTO POSSO ME APOSENTAR ?

      • fslonik disse:

        Com um contrato de aluguel de imóvel rural é possível se aposentar, mas tudo depende do INSS e demais documentos que tenha do tempo rural, como matrículas escolares, documentos de Igreja, notas fiscais de venda de produtos ou qualquer outro.

  2. ODETE BATISTA AGGIO disse:

    muito obrigado pela dica.VCSpoderiam especificar o que eu tenho que providenciar de documentos….e o que eu tenho que fazer,qual o primeiro passo ?

  3. Mary graça portela disse:

    Trabalhei em fábricas de calçados por mais ou menos 10 anos atualmente estou na prefeitura já com vinte anos de contribuição. nas minhas contas o meu tempo na tabela 85/95 com 55 de idade vence em novembro . Será que posso pedir uma atualização de CNIS a partir de novembro

  4. CARLOS SOUZA disse:

    Trabalhei de janeiro 1.976, à outubro de 1.980 como rural em fazenda sem registro, porem o mesmo empregador transferiu meu pai e família a outra fazenda para trabalhar como meeiro de café.

    Acredito que tinha contrato porque meu pai recebeu na época uma notificação feita pelo cartório a pedido do dono da fazenda pra desocupar o imóvel em setembro de 1.978.
    Neste mesmo ano de 1.978 o dono trocou a fazenda por outra e o novo dono deixou meu pai continuar com a família , dai moramos nessa fazenda até outubro de 1.980 como mencionado acima.
    Pergunto, a notificação do cartório serve como prova para o tempo de serviço na roça de janeiro de 1.976 a setembro de 1.980 para completar o tempo de aposentadoria por tempo de contribuição. Outro trabalho sem registro de novembro de 1.980 à novembro de 1.983, esse empregador depois de três anos pagou os direitos mais ou menos, e registrou todos nós., pergunto, tem como eu conseguir uma cópia desse acerto na época PARA PROVAR o tempo de serviço?
    O motivo é que sou servidor publico municipal, em maio de 2.017 completo 15 anos de serviço publico na área da saúde em especialidade médica como atendente e recebo insalubridade.
    Desta firma, gostaria de saber se consigo a aposentadoria especial contando com o PPP PERFIL PROFISSIOGRÁFICO PREVIDENCIÁRIO para somar no tempo de serviço.
    Eu ainda tenho uma licença premio vencida e outra que vence em maio de 2.017, pergunto, posso contar as duas licenças prêmios para aposentar porque pode contar em dobro para tempo de aposentadoria.
    Tenho 55 anos de idade e no final de 2.016 eu faço 56 anos, Fiz uma simulação no site da previdência que deu 26 anos mais ou menos, faltou oito anos e onze meses para aposentar.
    Pergunto: Se eu provar o tempo que trabalhei na roça sem registro que soma quase 8 anos, esperando até maio de 2.017 completaria os 35 anos de contribuição sem contar com licença especial se eu tiver direito em dobro para tempo de aposentadoria, assim, peço ajuda Doutores por favor me oriente, pois não posso pegar peso, fiz fisioterapia 11 anos, e trabalho desde cedo conforme dito, pesquisei os tipos de provas, mas peço orientação e se tenho direito de somar o que relatei para me aposentar por tempo de contribuição.

    • fslonik disse:

      A notificação do cartório ajuda, mas terá que ter mais provas que morava lá, qualquer tipo de documento serve e é bom procurar tudo o que encontrar que diga que neste tempo era agricultor, como certidão de casamento, nascimento de filhos, documentos da comunidade, boletim escolar, notas fiscais, etc.
      Já pode ir procurando e separando para quando der entrada na aposentadoria leva junto e pede para incluir este tempo como trabalhador rural.
      O acordo do outro empregador, terá que ter a cópia deste documento para provar.
      O bom mesmo é procurar orientação de um advogado previdenciários, mas um que alguém indique que seja bom no assunto.

  5. Poliana Barbosa disse:

    Tenho 53 anos e completarei 55 anos em 2018, sou servidora pública desde 2003 em um horário e trabalhadora rural no outro período, sempre fui trabalhadora rural, gostaria de saber se tenho direito de aposentar como trabalhadora rural aos 55 anos sem me afastar do serviço público, sendo que trabalho como auxiliar de serviços gerais em uma escola da zona rural.
    Gostaria de saber se tenho que me afastar do serviço público para conseguir aposentar, ou se posso continuar trabalhando e quando completar os 55 anos dar entrada.

    Agradeço desde já.

    • fslonik disse:

      Não entendemos bem sua pergunta, mas já tem 30 anos de contribuição? Se tem pode se aposentar e continuar trabalhando.
      Quanto a se aposentar como trabalhador rural, terá que comprovar o tempo rural para se aposentar por idade com 55 anos.
      A nova lei que ainda será votada, vai igualar a idade de 65 anos para todos, mas no seu caso, já tem mais de 45 anos, ainda se aposenta pelas regras atuais, mesmo que a lei mude.

  6. Isabel Eckert disse:

    Olá. Tenho 20 anos de contribuição. Porem dos 12 aos 18 (1989 a 1995)anos trabalhei na roça com o meu pai com a agricultura familiar. Consigo contar isso para me aposentar uma vez que estariam me faltando 4 anos para me aposentar por tempo de contribuiçao (30 anos).
    Se eu ingressar com uma demanda no inss e caso mudem as regras da aposentadoria? A lei vai retroagir para me beneficiar? Poderia recolher esses 4 anos que faltam para requerer a aposentadoria pois seria bem melhor do que trabalhar ate os 65 anos que no meu caso faltariam mais 25 anos. Isso seria possível
    Obrigado pelos esclarecimentos.

    • fslonik disse:

      O tempo rural é possível sim aproveitar para somar no tempo de contribuição, tanto que consiga provar que estava na roça. A prova principal é escritura de terreno ou contrato de uso das terras em nome do teu pai e qualquer documento que conste o teu nome e o nome do teu pai dizendo que é agricultor, como boletins escolares, matrículas, documentos de igreja, batismo, crisma e outros. Documento que fazia parte do Sindicato Rural, Notas fiscais de venda de produtos agrícolas. O mais importante ainda é que trabalhavam todos para o sustendo da família, sem ter empregados e depois o INSS vai pedir ainda 3 testemunhas.

      Estes 4 anos que ainda faltam, não tem como pagar antecipado porque o INSS não aceita.
      Quantos anos tem? Se tem mais de 45, com a nova lei vai ter que trabalhar 50% a mais do tempo faltante, isto é, provando o tempo rural vai faltar 4 anos mais 50% = 6 anos (terá que trabalhar ou contribuir como autônoma mais 6 anos para se aposentar.
      Caso tenha menos de 45 até a aprovação da nova lei, aí é só com 65 para se aposentar.
      Para não perder o tempo rural com a nova lei, terá que entrar já com o pedido no INSS de reconhecimento deste tempo. A nova lei vai acabar com este tempo rural para todos.
      Junte a escritura da terra ou contrato de locação e tudo que puder anexar junto e entre com o pedido para contar no tempo de contribuição no INSS o quanto antes e se negarem, pode levar direto na Justiça Federal que eles estão dando ganho de causa.

  7. Silvio disse:

    A nova lei não irá reconhecer o trabalho rural a partir dos 12 anos? Tenho 35 anos, trabalhei com meus pais na agricultura até os 24, depois trabalhei registrado em algumas empresas. Há 3 anos sou servidor do judiciário. Há possibilidade de somar todos esses períodos? Obrigado.

    • fslonik disse:

      Pela sua idade (35 anos) provavelmente não irá aproveitar mais este tempo rural. A nova lei vai eliminar este tipo de aproveitamento para se aposentar.
      Quem já está no tempo de se aposentar, ainda vai poder usar o tempo rural, mas que ainda não completou a idade de 50 anos (homem), não terá mais o direito, como é o seu caso.

  8. Juliano Alves disse:

    Olá. Minha måe tem 59 anos. Trabalhou no rural dos 12 aos 25. Depois trabalhou 10 anos de carteira registrada no urbano. Ela ja consegue se aposentar?

  9. João Batista Ramos Filho disse:

    Boa tarde, tive uma propriedade em meu nome desde os 12 anos. Paguei o ITR tudo certinho. Pergunto, quanto eu pagava o ITR, eu não estava contribuindo para o INSS também? Se sim posso contar esse período em minha aposentadoria.

    Abraços
    João Batista

    • fslonik disse:

      Pode aproveitar se tinha a propriedade e morava no sítio neste tempo. Com o documento da propriedade você comprova que tinha as terras, mas tem que comprovar que trabalhava na lavoura.
      Mesmo que morasse com os pais, tanto que fosse no sítio, tem direito sim.

  10. Gladomir Arnold disse:

    Olá, sou professor da rede federal a 25 anos, mais um tempo de Inss, e já tenho averbado um tempo de agricultura o qual a certidão foi emitida em 1996, quando não era obrigatório a contribuição…. Terei que recolher a contribuição agora ou tenho um direito adquirido…
    Obrigado

    Gladomir

    • fslonik disse:

      Com 25 anos de professor já tem seu direito adquirido.
      O tempo rural conta e não é necessário recolher nada.
      Fique de olho na aprovação da nova lei e na nova fórmula de cálculos para ver se vai valer a pena se aposentar já ou esperar a nova lei.

  11. GILBERTO RIZZI disse:

    Olá, meu nome é Gilberto e tenho 50 anos de idade, 28 anos de CTPS assinada e tenho para complementar a soma de 7 anos de atividade rural (precisarei comprovar) – somando-se 35 anos de contribuição. Neste caso, acredito conseguir me aposentar por tempo de contribuição, mas possivelmente por causa da idade, será uma aposentadoria parcial muito baixa, correto? Caso meu pedido seja indeferido e a nova reforma da previdência aprovada, por causa dos 50 anos completos, possuo direito adquirido para anos posterior conseguir me aposentar pela “antiga legislação da previdência”?

    Obrigado.

    • fslonik disse:

      Correto, será uns 50% do valor da média.
      Tendo 50 anos completos entra na regra de transição e caso não consiga comprovar o tempo rural, terá que trabalhar mais 50% do tempo que falta.
      O tempo rural o INSS está negando tudo e só via justiça.
      Mas para comprovação terá que ter como provas fortes:
      Escritura de terreno ou contrato de arrendamento em nome de seu pai da época da roça
      Documentos de escola, matrículas, boletins, documentos de igreja, alistamento militar, enfim, tudo o que diga que seu pai era agricultor na época.
      Leva tudo no INSS e da entrada e casa negue, o documento do INSS negando vai servir para que o advogado entre na justiça.

  12. ola tudo bem!meu nome e Judite gostaria tirar uma duvida nasci em 1974 trabalhei com meus pais ate 1995 no meio rural .depois fui pra empresa fiquei 1995 ate 2004 sai da empresa e fui pro meio rural com meu pais ate final de 2004 voltei pro urbano ate hoje estou trabalhando será que consigo me aposentar na lei velha ainda?

    • fslonik disse:

      Se conseguir comprovar o tempo rural consegue sim. Pode até dar entrada no INSS e levar junto a papelada para incluir o tempo rural, que são:
      Escritura de terreno ou contrato de arrendamento em nome dos pais e
      mais tudo o que encontrar que tenho o seu nome do tempo rural, como boletins escolares, documentos de igreja, fotos e outros.

  13. Vanderlei disse:

    Olá, tenho 37 anos, dos 12 aos 19 trabalhei com meus pais na roça, e mais 18 anos com carteira assinada, seria possível averbar no INSS o tempo de roça, antes da nova lei?

    • fslonik disse:

      Se tem todos os documentos do tempo da roça, pode dar entrada no INSS solicitando para contar no seu tempo de contribuição.
      O INSS deverá negar e terá que entrar na justiça para que eles aceitem.

      Terá que levar no INSS os seguinte documentos:
      Escritura das terras em nome do seu pai ou contrato de locação
      Todo documentos que encontrar que conste o seu nome e o seu pai como agricultor.

  14. Afonso Silveira disse:

    Bom dia se aprovado essa reforma trabalhista eu com 25 de contribuição e posso pedir minha aposentadoria com 70% do meu salário ou tenho que ter uma idade mínima ainda ou é só o tempo de contribuição para o INSS só isso basta ou tenho que ter idade mínima junto.obrigado.

  15. Danieli Scramim disse:

    Como devo proceder ao INSS depois de que juntei todos os documentos de tempo rural+urbano.
    Estou tentando aposentar meu tio.

    Obrigada

  16. janete disse:

    ola trabalhei na roca ate 1994 tenho como provar so que me falarao que apartir de 1991 tenho que indenizar isto e correto tenho 49 anos e 15 anos de carteira acinada somando roca e ctl soma 30 anos de contibuicao 49 anos sera q posso pedir aposentadoria

    • fslonik disse:

      Comprovando no INSS o tempo que trabalhou na lavoura, terá o direito sim.
      Pode entrar com o pedido de aposentadoria e anexar os comprovantes do tempo rural, como escritura de terreno ou contrato de locação e outros que tiver.

  17. sara disse:

    BOA TARDE. MINHA MÃE TEM 54 ANOS DE IDADE E 12 ANOS DE CONTRIBUIÇÃO URBANA E 25 ANOS DE RURAL. SERÁ QUE ELA CONSEGUE SE APOSENTAR APLICANDO O FATOR 85/95? OS TEMPOS NÃO SÃO CONCOMITANTES.

  18. eliane disse:

    boa tarde, tenho 52 anos e 24 anos de contribuição…só que trabalhei com meus pais colhendo batatas e ajudando fazer cercas nas propriedades, eu morava em mandirituba e não temos provas com documentos por ganhavamos por dia, ficamos quase 10 anos trabalhando assim.
    Agora depois de muitos anos quero requerer minha aposentadoria…o que posso fazer?
    muito obrigada
    eliane

    • fslonik disse:

      Só vai conseguir o tempo de lavoura se conseguir comprovar que trabalhou com documentos, como contrato de arrendamento de terras ou escritura que na época seu pai era dono de sítio.
      Pode juntar algum destes documentos e mais qualquer prova que tenha da época, como boletins escolares, documentos de igreja ou qualquer outro que tenha como profissão de seus pais agricultores.

  19. ZULEIDE disse:

    Boa noite, tenho 51 anos e 28 anos de contribuição. Fui registrada quando tinha 19 anos, trabalhei com o meu pai que era agricultor até ser registrada. Meu pai era agricultor e feirante, ele pagava INCRA e tinha propriedade no seu nome. Eu ia junto com ele vender os produtos e ajudava em casa. Posso comprovar este tempo que trabalhei com o meu pai, dos 12 aos 19 anos, como atividade rural. Caso haja a possibilidade de comprovar, como devo proceder junto ao INSS.

    • fslonik disse:

      Pode sim incluir o tempo rural a partir dos 12 anos.
      Agende no INSS e anexe a escritura do terreno em nome de su pai e todos documentos que tenha o seu nome com o seu pais responsável do tempo da lavoura, como:
      Matrículas de escola
      Boletins escolares
      Certidão de crisma, batismo ou qualquer outro
      Comprovante do INCRA
      Até fotos que tenha da lavoura poderá anexar.

  20. Tereza Fernandes oliva disse:

    Tenho 57 anos tenho 15 anos de contribuições trabalhei na roça ate completar 22 anos foi quando me casei quando posso me aposentar

  21. Tereza Fernandes oliva disse:

    Meu nome e Mario tenho 61 anos tenho 32 e meio de. Contribuições trabalhei na lavoura ate completar 21anos mas não tenho documentos que provem que trabalhei na lavoura o que devo fazer mandar resposta no mesmo endereço no mesmo emeio

  22. Marcia Mattos disse:

    Olá, bom dia! Tenho 39 anos de idade, morei na roça até os eus 26 anos. Trabahei na roça des dos 8 anos de idade. Tenho 7 anos de carteira assinada. Hoje, porém, por motivos neurológicos dos quais fui acometida me encontro encostada judicialente. Gostaria de saber se consigo me aposentar, pois meu pai para se aposentar comprovou judicialmente que sempre foi da roça. Será que com este documento ajuizado posso comprovar estes anos que morei e trabalhei na roça? E será que consigo me aposentar com a soma desses anos dos quais relatei? Desde já agradeço pela gentileza despensada a mim e a todos dos quais me identifiquei com seu testemunhos aqui relatados!

    • fslonik disse:

      Consegue sim, mas terá que comprovar que morou e trabalhou na roça neste tempo. Os comprovantes podem ser matrículas escolares, boletins, documentos religiosos e se necessário testemunhas da época.

  23. NORTON disse:

    Tenho 61,5 anos de idade, 21 anos de carteira assinada, sendo que destes 8 anos insalubres, mais 4 anos como agricultor com contrato de arrendamento com comprovantes de pagamento de dívidas bancárias da época, mais 5 anos de trabalho com contrato de prestação de serviço para pessoa jurídica (sem comprovante de recolhimento ao inss) quanto tempo falta para me aposentar?

    • fslonik disse:

      O tempo de prestação de serviço para pessoa jurídica sem recolhimento estará perdido.
      O tempo de 4 anos como agricultor, se provar, poderá contar.
      Somando 21 + 4 = 25 mais o insalubre de uns 2 anos = 27
      Ainda faltam 8 anos para completar os 35 de contribuição.
      Completando 65 anos poderá se aposentar por idade.

  24. Boa noite meu nome e dercilio de souza bom trabalho como vigilante armado a 15 anos e mais 5 anos não armado e fiz averbação do tempo rural de 1981 a 1990 e apresentei varios documentos de época que comprova o tempo rural mais o inss so reconheceu 20 e 11 mês e descartou todos os documentos rural e não reconheceu os ppp que comprova o tempo com periculosidade de trabalho armado e descartou todos os documentos rural

  25. Mirian Rezin disse:

    Boa tarde ! Minha mãe vai completa 60 anos esse mês, ela tem 11anos de roça e 14 anos de contribuição ! Gostaria de saber se ela se enquadra nessa lei do 85/95 ?obrigada !

  26. Edmilson De Matchi disse:

    Nome: Edmilson De Marchi

    Email: emarchi@rerra.com.br

    Dúvida: Tenho 57 anos. Trabalho desde 1976 qdo iniciei. Em 78 servi o exercito até 79 . Reiniciei na atividade privada 03/80 e só parei com minha demissão em 10/2001. Depois desse período tenho trabalhado como agricultor e parei de recolher até 07/2012 quando reiniciei o recolhimento do inss como facultativo. Somando os recolhimentos tenho por volta de 30 anos. Continuo como agricultor sempre sem empregados e sem recolhimento por quase 11 anos, porém sempre recolhendo o funrural sobre minhas vendas. Com esses dois períodos Eu tenho direito a aposentadoria?

  27. Paula disse:

    Olá!!
    Preciso levar três testemunhas para comprovar o rural, tenho uma dúvida,
    estas testemunhas precisavam estar tbm na roça durante o período que quero do meu rural, ou elas podem ter carteira assinada naquela época, eramos vizinhas e colegas de aula, mas elas trabalhavam fora, e eu na roça. Elas servem como testemunha, ou precisa ser pessoas que não trabalhavam fora na época?

    • Guia Governo disse:

      Precisa ser gente da época que conhecia você quando morava no sítio. O Juiz vai fazer perguntar para eles sobre este tempo e eles terão que saber da época. Não é necessário que na época trabalhavam lá, mas que sabiam que você trabalhava na roça.

  28. Edmilson De Matchi disse:

    No item 26 acima coloquei minha situação. A resposta foi positiva, porém gostaria de saber se na condição de agricultor, para a obtenção do benefício, teria eu de ter necessariamente ter morado na propriedade e ter uma única propriedade rural? Ou essa condição não é necessária? Considerando que sempre morei na cidade, mas meu trabalho diário era e é o tempo todo sobre minha propriedade rural.

  29. vilson disse:

    boa noite
    tenho 52 anos sempre morei e trabalhei na agricultura mas desde 2006 contribuo com o INSS, pois foi diretor de uma cooperativa de agricultores, posso pedir minha aposentadoria.
    vilson

  30. José disse:

    Boa Noite. Meu pai possui 58 anos de idade, começou a trabalhar desde os 8 anos de idade. Possui todas as guias de café, leite, incra, ITR. É possível que ele já consiga se aposentar normalmente?

  31. Mirian disse:

    Bom dia!
    Tenho 50 anos completos, nasci, me criei e ainda morro no mesmo lugar onde trabalhei com meu pai na lavoura. De 1990 a 1993 trabalhei em uma empresa e depois voltei para a roça onde trabalhei até concluir a faculdade em 1999. Depois disso trabalhei empregada até hoje contribuindo.
    Como faço para dar entrada na minha aposentadoria e incluir esse tempo de trabalho na roça?
    Sou solteira e hoje herdeira de terras onde trabalhei e ainda morro.

    • fslonik disse:

      Pode juntar a escritura das terras,comprovantes de sindicato rural, Notas de vendas de produtos, Matrículas escolares em que estudou e dar entrada no pedido no INSS.
      Quanto mais documentos anexar, será mais provável que aceitem seu pedido.

  32. Sonia Turato disse:

    Oi ! Trabalhei de empregada doméstica 19anos, morava noe emprego, cresci lá. Quando sai de lá, minha patroa colocou 8 anos nacarteira, tá tudo certo, registrado, mas não recolheu, depois trabalhei 3anos nohospital, de atendente de enfermagem, na sequência tenho 20 anos de sala de aula no estado, será que posso pedir aposentadoria? E esse tempo vai valer para me aposentar, como averbação?

  33. HELTON disse:

    MEU PARENTE TEM 53 ANOS DE IDADE, COM 14 ANOS DE TRABALHADOR RURAL, MAIS 21 ANOS DE CONTRIBUICAO AO INSS, SERIA POSSIVEL APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUICAO?

  34. sergio disse:

    Trabalhei na roça/agricultura, dos 12 aos 16 anos com meu pai, que era pequeno agricultor, estudava num colégio rural/ginásio. Dos 16 aos 18 fui estudar e morar na cidade, segundo grau, nas férias voltava para trabalhar na roça. Meu pai tinha terra no seu nome, era associado da cooperativa, tem notas de produtor rural, pagava INCRA E SINDICATO.Com 18 anos, passei num concurso público, e sou servidor público até hoje. Tenho 51 anos de idade.
    Pergunto: posso contar o tempo rural dos 12 aos 16 anos e dos 16 aos 18 junto ao serviço público.
    Averbando este tempo junto ao serviço publico. Quando eu for pedir este tempo junto ao INSS, que documentos eles vão solicitar. Preciso indenizar o INSS. Caso tenha que indenizar, qual é o valor.

    • fslonik disse:

      O INSS só aceita o tempo rural se realmente morou e trabalhou na agricultura neste tempo. Como estudava e morava fora, eles não irão reconhecer o tempo para somar na aposentadoria.
      Pode até tentar incluir e entrar com o pedido e no máximo será a recusa.
      Para prova anexar a escritura do terreno, nr. do Incra, Carteirinha do sindicato rural.
      Não tem nenhuma indenização que falou, ou aceitam ou recusam.

  35. sergio disse:

    Trabalhei dos 12 aos 16 anos na agricultura, 1978 a 1982, meu pai tinha terra em seu nome, tenho comprovante que estudei em colégio rural. Atualmente sou funcionário público, posso contar/averbar este tempo, 4 anos.
    O INSS vai exigir indenização? qual seria o parâmetro para indenizar? qual seria o valor?

    • fslonik disse:

      Pode sim contar este tempo rural e colégio agrícola, tanto que comprove.
      Quanto a indenização não ficou claro, mas não existe nenhuma indenização a pagar.

  36. José A. J. Oliveira disse:

    Boa tarde. Nasci em 1962 e vivi com meus pais na roça até 1981. Desse período trabalhei ajudando-os deste os 12 anos de idade. Estudei em escola rural até o 4º ano primário e da 5ª série ginasial até o 3º Colegial na cidade, quando trabalhava durante o dia e ia pra escola a noite usando transporte escolar existente na época. Hoje com 54 anos de idade, tenho 27 anos de contribuição incluídos 19 anos de função pública, onde estou atualmente e que me dá o direito a aposentadoria especial aos 30 anos de contribuição desde que esteja a 20 anos na função. Pergunto! Tenho direito e de que forma posso pedir a averbação daquele tempo em meio rural? Meus pais não tem mais a propriedade rural, documentos da época não existem mais. Grato!

  37. Márcia disse:

    Olá Boa noite! Minha mãe vai dar entrada na aposentadoria juntando rural e tempo de carteira, ela tem 54 anos e gostaria de saber se filhos nascidos na roça contam algum tempo. Ouvimos dizer que a cada filho soma -se 2 anos. E se a idade de quem trabalhava conta desde 12 anos?

  38. Roberto disse:

    Olá, boa noite!
    Por favor, minha mãe está completando 60 anos em dezembro e está com muitas dificuldades para se aposentar. Ela tem somente 5 anos de contribuição urbana em carteira. Trabalhou desde criança na roça e está tentando juntar os documentos comprobatórios. Saiu da roça antes de 1991. Gostaria de saber se ela consegue se aposentar caso consiga comprovar o trabalho rural e somar aos 5 urbano? trabalhou pelo menos uns 15 anos na roça. desde ja agradeço muito.

    • fslonik disse:

      Pode sim somar o tempo rural mais o urbano. O tempo rural terá que ser comprovado com documentos, como escritura de terras, contrato de locação de terras, matrículas escolares, qualquer documentos de igreja, notas fiscais de venda de produtos do sítio, carteirinha do sindicato rural e outros.

  39. Juliana disse:

    Olá,
    nasci em 09/1964. até 1982 contribui com bloco de produtor ( do meu Pai a partir dos 12 anos e após do meu esposo). de 05/1983 a 06/1988 tive 03 meses de contribuição com carteira assinada em cada um desses anos. de 07/1988 a 02/1998 voltei a contribuir com Bloco de produtor. de 03/1988 a 06/1988 tive novamente carteira assinada. de 07/1998 a 08/2004 voltei para o Bloco. de 09/2004 ate os dias atuais permaneço com carteira assinada. será que já posso me aposentar?

  40. Lawall disse:

    Tenho 54 anos, tenho uma propriedade de terras desde 1974, quando tinha 11 anos, ainda possuo esta propriedade, morava com os pais na época, estou juntando documentos, tenho a escritura da época, e de agora atualizada, tenho uma certidão do INCRA comprovando isso, fiz a emancipação em 1981, para tirar o bloco de produtor a partir de 81,82,83 que pode provar que estava na atividade rural anteriormente, a partir dai 84 em diante sou funcionário publico. Fiz entrevista do anos 81,82,83 e disse que trabalhava com a mãe na propriedade e me deram estes anos, faltando agora comprovar de 75 a 80, dos 12 aos 17 anos de idade.
    Como posso provar mais?

  41. Girlene Meira disse:

    Gostaria de tirar uma dúvida. Na certidão dos meus filhos que hoje um tem 30 e outra tem 31 nenhuma das duas certidões consta que eu era trabalhador rural. Será que fica algum arquivo no cartório da Cidade? Na minha certidão tbm não Consta que meu pai era trabalhador rural. Como devo proceder? Grato desde já.

    • fslonik disse:

      Procurar qualque documentos que conste como agricultor, como matrículas escolares, documentos de igreja, notas de compra de produtos na sua localidade.

  42. Leonice disse:

    Olá, Tenho 55, trabalhei de 1976 até 1985, (9 anos) como escrituraria no antigo FUNRURAL, que era dirigido por um representante, o qual me contratou, sendo que só fui registrada apenas nos últimos 10 meses. Depois disso tenho averbação de tempo como servidora pública no período: 1992 a 1994, (de 1 ano, 4 meses e 19 dias). Contribuí como empregada urbana de 10/1994 a 02/2014, sendo 19 anos e 4 meses. Desde 06/2014 até a presente data pago contribuição facultativa: (3 anos e 3 meses). Portanto, comprovadamente tenho: 24 anos e 6 meses de contribuição. Como posso requerer comprovação para o INSS de que trabalhei na representação do Furural, se quem me contratou já é falecido? Há algum tipo de recurso para o INSS aceitar a contagem desse tempo que não fui registrada?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *